Bem-vindo à primeira publicação do blog Sobremundos! Quando me mudei para Barcelona, um dos meus objetivos era criar um blog sobre viagens. Cheguei em janeiro. Estamos em março. De 2018!! Procrastinação, a gente vê por aqui.

Agora acabou a enrolação, resolvi começar por um tema indolor e que explica as coisas do começo.

Por que eu vim morar em Barcelona? Porque eu me apaixonei por ela! Depois de quase um ano morando aqui, concluí que será um caso de amor eterno. Por isso compartilho 10 razões que me fizeram eleger Barna como meu lugar no mundo.

1. Praia e Montanha:

Ver o mar todos os dias tem algum tipo de efeito energizante sobre as pessoas. Talvez seja por sentir a natureza um pouco mais perto e presente. Além disso, ver o lindo azul do Mediterrâneo é um belo incentivo para uma corrida no solzinho da manhã ou aquele vôlei de domingo (futebol, surfe, vela, caiaque…).

Barceloneta, com o estrelado Hotel Arts e a escultura Peix, de Frank Gehry ao fundo

E sabe quando você se cansa do barulho e da poluição da cidade, e tem vontade de fugir para as colinas? Barcelona permite ótimas escapadas de um dia, e você pode aproveitá-las mesmo numa viagem curta.

Uma das mais populares e próximas é a trilha da Carretera de les Aïgues, que percorre a Serra de Collserola e oferece lindas vistas de Barcelona. A cerca de cinquenta quilômetros do centro, estão as paisagens incomuns de Montserrat, talvez a montanha mais simbólica da Catalunha. E se quiser ir mais longe, encontrará o Montseny, que se destaca pelos bosques e rios.

2. Clima

Clima mediterrâneo minha gente! Aqui em Barcelona os dias costumam ser de temperatura agradável, sol e céu azul. Perfeito para curtir tanto a praia quanto a montanha. A temperatura varia pouco ao longo do ano, diria que são três meses de sauna, três meses de fresco e seis meses de felicidade absoluta. Agosto é o mês mais quente, com vários dias superando os 30 °C e janeiro o mais frio, com mínima média de 10 °C. O suficiente para por um cachecol e ter desculpa para tomar uma xícara de chocolate quente com churros!

3. Localização

Barcelona está numa posição estratégica para viajantes irrecuperáveis. Tudo se tornou ainda mais tentador com as companhias aéreas de baixo custo, como a Vueling. Para chegar em qualquer capital do centro europeu, não são mais de três horas. Para cruzar o Mediterrâneo e chegar à África, são menos de duas. A facilidade para chegar nas Américas já conhecemos faz uns 500 anos.

4. Transporte

Aqui em Barcelona, usei carro talvez umas cinco vezes em todo o ano. Isso considerando que me mudei duas vezes e fui e voltei do aeroporto pelo menos dez.

O transporte público conta com diversas linhas de ônibus, metrô, duas companhias de trem, bonde e teleféricos. Além disso, as ciclovias estão bem distribuídas pela cidade, são sinalizadas e há bastante respeito com os ciclistas. Uma dica para mover-se pela cidade é usar o aplicativo Citymapper, que indica inclusive as paradas de bicicleta compartilhada e qual o melhor vagão do metrô em cada viagem.

Mapa das linhas de metrô e bonde (T1 a T5) de Barcelona

5. Opções culturais

Ter uma televisão em Barcelona é um desperdício. Sobram opções de museus, exposições, tours guiados, cinemas, shows, salas de concertos. Entre os museus, destaco o CCCB, que recebe exposições contemporâneas e multimídia. Também o Museu Picasso e a Fundação Joan Miró: ambas foram fundadas pelos artistas em vida, com o propósito de deixar suas obras sempre disponíveis ao grande público.

6. Idioma

O catalão é uma barreira para quem vem morar ou passear aqui? De forma alguma. Em Barcelona você encontrará todas as informações disponíveis em catalão, castelhano e inglês. Por outro lado, o catalão torna Barcelona ainda mais rica culturalmente. É uma língua latina, como o português e o espanhol, mas não é derivada desta. Nos anos de ditadura franquista, falar catalão foi proibido e havia até contrabando de livros para manter a língua viva. Por essa e outras razões, o catalão é falado pelos habitantes como um símbolo do seu patriotismo.

Página de uma revista em catalão.

7. Costumes

Além do idioma, os costumes catalães são muito particulares. Meu preferido é a comemoração do Dia de São Jorge, ou Sant Jordi. No dia 23 de abril, pessoas queridas trocam rosas vermelhas e livros. Esse dia foi adotado como o Dia do Livro em todo o mundo. Aqui não existe Halloween, pois nesse dia é comemorada a festa da Castanhada, quando se comem castanhas assadas, batata-doce e panellets, biscoitos de amêndoas. Já o Papai Noel perdeu seu lugar para um tronco de árvore que caga presentes, o caga-tió. O “esporte” tradicional também é bem curioso: os castellers, ou castelos humanos. E essas são só algumas das tradições!

8. Comida

A alimentação das pessoas aqui em geral inclui muitos legumes, frutas e peixe, a famosa dieta do Mediterrâneo. Além disso, valorizam muito produtos orgânicos, mas não aqueles do mercado gourmet mais próximo. Eles gostam mesmo é de ir aos pueblos e trazer frutas, embutidos, ovos de galinha caipira e geleia caseira. Essa simplicidade também se vê em algumas das estrelas da culinária catalã: o pa amb tomàquet consiste de uma fatia de pão onde se esfrega um tomate, servido com jamón ou queijo. Já o calçot é um parente do alho-poró servido com molho de tomate e pimentões. Entre os doces estão os churros, mergulhados numa taça de chocolate quente bem espesso, e também a crema catalana, teoricamente a receita original que os franceses copiaram como crème brulée.

Crema catalana, a irmã gêmea do crème brulée

9. História

Vindo de um país com 500 anos de história “documentada”, não posso deixar de me impressionar com uma cidade fundada pelos romanos no séc. I A.C. Há inclusive uma lenda de que o fundador da cidade teria sido Hércules. Nos séculos seguintes, Barcelona formou parte do império visigodo, seguida por uma breve dominação muçulmana até se tornar Cidade Condal no séc. IX. Em lugares como a Basílica de Santa Maria do Mar, quase dá para sentir o peso da história no ar. Os blocos de pedra desta igreja foram carregados nas costas pelos trabalhadores das docas que a construíram há mais de 700 anos.

10. Arquitetura única

E para terminar, Barcelona é diferente de qualquer outra cidade do mundo, graças à arquitetura modernista catalã e a um gênio chamado Antoni Gaudí. Em diferentes pontos da cidade, é possível identificar as cores e curvas desses edifícios que se inspiram principalmente em formas da natureza. Entre eles estão as famosíssimas Casa Batlló, Parc Güell e a Sagrada Família, obras-primas de Gaudí. Muitos outros arquitetos desenvolveram este estilo, entre eles Lluís Domènech i Montaner, autor do Palau de la Música Catalana e do Hospital de la Santa Creu i Sant Pau.

Hospital de San Pau, um exemplo do modernismo catalão

Essas são minhas características favoritas da cidade, e cada uma delas daria assunto para um post inteiro. E você, é mais um apaixonado por Barcelona? Então deixe um comentário contando o porquê!